Enquanto a Igreja não se calar este assunto não cai e não passará a ser tratado como merece.

Por mais que a Igreja tome as suas providências, justifique-se ou indemnize este continuará a ser um assunto da justiça civil!
manuel gouveia a 13 de Abril de 2010 às 12:36

Claro que sim, mas aqui também está em causa associar a pedófilia à homossexualidade. São questões distintas.

Quem começou por associar a pedofilia ao celibato, criticando a Igreja por essa prática, que se chegue agora à frente!

A pedofilia é um crime sexual.
O celibato é abstinência sexual.
O Homossexualismo é o amor entre dois seres do mesmo sexo.
Como podem estas 3 definições estar genéricamente relacionadas entre si?

NUNCA!...

As definições não têm qualquer relação, ainda que um indivíduo possa ser homossexual e pedófilo em simultâneo, mas também qualquer deles separadamente, apenas uma correcção, a homossexualidade não implica amor, pode existir ou não, de resto como a heterossexualidade, o sexo pode ser praticado com ou sem amor.

Podem estar relacionadas porque ha pedofilos em todos os sectores da sociedade. Em todos os tipos de pessoas e animais. Porque não na igreja, homosexualidade, heterosexualidade ou outro?
djmhz a 13 de Abril de 2010 às 23:43

O que significa que o problema não está no celibato ou na espiritualidade seguida.

É um caso de polícia e deve ser resolvido nos tribunais civis.

Podem estar relacionadas porque ha pedofilos em todos os sectores da sociedade. Em todos os tipos de pessoas e animais. Porque não na igreja, homosexualidade, heterosexualidade ou outro?
djmhz a 13 de Abril de 2010 às 23:45

Boa tarde,

O Direito de Opinião está novamente em destaque nos Blogs do SAPO, em http://blogs.sapo.pt

Parabéns pelo blog e boa continuação :)

Pedro
Pedro Neves a 13 de Abril de 2010 às 15:15

Obrigado Pedro, um abraço a toda a equipa do SAPO.

Concluindo e resumindo: todos nós somos livres de o dizer: só que no caso não há um Dia Internacional do Disparate - todos os dias eles acontecem :)
Cristina Ribeiro a 13 de Abril de 2010 às 20:00

Nem mais, Cristina.

;)

A homossexualidade é atracção física e emocional por alguém do mesmo sexo,gente.
Eu sou lésbica,porque será que eu não me sinto mínima nem máximamente atraída por meninas menores de idade?ou se quiserem porque será que eu não sinto atracção e consequentemente excitação sexual com crianças,podem-me explicar? já que por aqui é só GENTE CULTA,alguém me sabe explicar porque me aconteçe o que acabei de relatar?
Ah...e também tenho amigos HOMENS QUE SÃO HOMOSSEXUAIS e eles também não se excitam com meninos pequeninos...
lu a 13 de Abril de 2010 às 21:30

Estamos de acordo até um certo ponto, não sei se a atracção física e emocional, que são distintas, poderão ser consideradas homossexualidade ou heterossexualidade, ou para que tal aconteça seja necessário a prática do acto em si mesmo. No mínimo é discutível, mas não irei desenvolver por não ser esse o objecto do post, mas precisamente refutar a colagem da homossexualidade à pedofilia, como bem refere. Atracção por crianças não me recordo alguma vez de ter sentido, por adolescentes sim, durante a minha própria adolescência.

Isso também eu tinha atracção por meninas adolescentes quando eu própria era adolescente,aliás nessa fase,já eu me relacionava emocional e sexualmente com meninas,da minha idade,14,15,16 anos,com raparigas que tinham a mesma idade que eu,nunca mulheres adultas,não me sentia atraida por mulheres adultas nem nunca fui "assediada" por mulheres feitas,tal como agora e já eu com 37 anos,meninas adolescentes e com menos de 25 anos não fazem parte das minhas preferencias,bem como com amigos meus homossexuais também e olhem que entre a comunidade gay há total liberdade e tolerancia pelas "aventuras" sexuais e emocionais de cada um e uma e ninguém é hipócrita de fazer críticas e julgamentos e nenhum dos que eu conheço,desde longos anos tem qualquer gosto por meninos jovens ou adolescentes,e clinicamente sem patologias mentais e emocionalmente bem resolvidos. Nós lésbicas e gays não somos todos desequilibrados sexuais e mentais...voces heterossexuais,como não percebem o "mundo" homossexual é que inventam "catálogos" para algo que não conhecem e não sei porquê odeiam... não acredito que algum homossexual masculino ou feminino lhes tenha feito algo de tão mau assim para criticarem a homossexualidade com tanto ódio...
sempre achei que se nasce homossexual como se nasce heterossexual...ALGUM HETEROSSEXUAL ESCOLHEU SER HETEROSSEXUAL?
Não "escolhi" gostar de mulheres por ser moda...quando dei por mim...aos 10 anos...gostava de meninas e olhem que havia muitos meninos tanto na minha familia com na vizinhança mas nunca gostei de meninos para nada...
lu a 14 de Abril de 2010 às 00:07

estes SR sempre acharam que o povo e em especial as mulheres não passamos de escravos
marinho a 13 de Abril de 2010 às 21:31

boa noite a todos, na minha opinião cada um é livre de escolher a sua sexualidade. mas adultos a abusarem de crianças, isto é que é um nojo, ainda por cima aqueles que passam a vida a dar sermões. são os piores, hipócritas que se escondem por detrás daquilo que devia ser o exemplo para os homens. afinal isto é tudo aquilo que Deus não é. pelo menos para mim. P.J .
P.J. a 13 de Abril de 2010 às 22:15

Ainda dizem que a igreja acredita em Deus mas que Deus se eles vão contra Ele. Ama o proximo como a Deus. Agora pedofilia e crime e isso vai contra a lei dos Homens. por isso nada de confundir a identidade sexual com crime, pois a Natureza Humana e diferente de um para um, temos e de fazer um testamento novo. Pedofilia não, para mimos Padres deviam prestar provas da sua castidade mensalmente. Amen
joaninha santa a 13 de Abril de 2010 às 22:35

A pedofilia e crime e deve ser paga segundo a legislação criminal, somos todos iguais segundo a palavra de Deus perante a "Biblia" senhores padres. A homosexualidade dnão e crime e segundo a lei de Deus nao deve ser descriminada pois "Ama o próximo como a Deus" precisam de aulas de natureza humana, "psicologia sexual", por isso sexo não e crime seja com quem for menos com crianças, pois estas ainda estão em fase de crescimento e ainda não tem noção da vida e suas consequencias, mas os adultos ja sabem por isso um adulto que faz sexo com uma criança e crime segundo a legislação criminal e os direito da criança. Agora sim Padres devem fazer provas de castidade mensalmente, para dar provas da sua fé segundo a palavra de Deus. Amen
joaninha santa a 13 de Abril de 2010 às 22:45

Quem abusa sexualmente de uma criança, não pode ser apelidado simplesmente de homossexual ou pedófilo, porque é acima de tudo, um TIRANO e como tal deve ser tratado, seja ele um padre, um bispo, um polícia ou um outro qualquer cidadão terá de ter uma punição que garanta nunca mais repetir
Joaquim Gil a 13 de Abril de 2010 às 22:48

nem mais.
Daniel João Santos a 13 de Abril de 2010 às 23:10

E como explica o nobre articulista que a quase totalidade dos casos de abusos sexuais na igreja sejam entre padres e rapazes?
É tudo , e apenas, coincidências, ou tem obra de alguns santo?

Curiosamente, hoje no telejornal da SIC, após esta noticia (e as opiniões de quem se recusa a aceitar uma relação entre homossexualidade e pedofilia), aparece logo uma noticia de abusos sexuais no Brasil, onde um pedreiro abusa e mata 6 rapazes – relações homossexuais.! Será apenas acaso?

Não podemos esquecer que, até há bem poucos anos,, homossexualidade e pedofilia tinham o mesmo estatuto. A Homossexualidade foi promovida a “orientação sexual” por votação

Fala-se também em igual estatuto para a pedofilia.
Alias, existem muitas associações que defendem o amor livre entre adultos de crianças - o «Childlove Movemen».

O que dizem disto os especialistas:

O termo pedofilia tem origem grega e possui como tradução o amor/amizade pelas crianças. Pedófilo, frisam alguns especialistas, é aquele indivíduo que possui atração sexual primária ou exclusiva por crianças, mesmo sem nenhum contato sexual efetivo.
(…)
Um número considerável dessa tendência abolicionista encontra suas raízes nos próprios movimentos homossexuais que pregam a liberdade plena no ato sexual. Mas, apesar de grande parte dos ativistas pedófilos ser formada por pessoas que se atraem sexualmente por outras do mesmo gênero, expressivo número de adeptos desse pensamento é heterossexual.

VERHOEVEN, SUHEYLA FONSECA MISIRLI , Revista da Faculdade de Direito de Campos, Ano VIII, Nº 10 - Junho de 2007
Mike Teef a 13 de Abril de 2010 às 23:12

Oh srs padres bispos e quejandos deêm provas de honestidade intelectual já q estão mais sujos q pau de galinheiro.O que é q tem a ver a homosexuakidade com a pederastia?Não duvido q toquem os dois campos da criminalidade mas estar a relacionar uma com a outra é demais já que caem noutro crime da ignorância q não é tolerável em vós q estudaste tanto e que deviam ter um mínimo de honestidade intelectual.
Luís Janeiro a 14 de Abril de 2010 às 00:14

Como não sinto qualquer outro sentimento em relação a outros homens senão o respeito e a amizade que mereçam, não posso pronunmciar-me sobre a questão do amor e a atrcção.
Cada um saberá de si.
No entanto, pergunto-me se não há confusão, intencional ou não, sobre o que é amor e atracção sexual. AScho que, mesmo entre homem e mulher, são coisas distintas e os homossexuais não devem baralhar essas cartas.
Eu posso dizer, no sentido místico ou sublime, que "amo" os meus amigos íntimos.
Mas, o que quero que saibam é que sou um amigo a toda a prova (em princípio)
A relacção ocasional com uma prostituta parte de um súbito despertar de interesse sexual por essa pessoa. Nem que seja somente pela cor dos olhos.
Até pode haver uma atracção visual e psíquica que se suporte sem que conduza ao acto sexual.
Quando leio que os homossexuais são-no por amarem os parceiros, não consigo ver nisso uma razão para a relação física e sexual.
As atracções psíquicas e físicas sentidas, os amores a justificar o acto sexual, penso que tudo não passa de jogos de palavras para justificar oa seus actos de luxúria e fantasias sexuais com parceiros iguais nos seus caprichos e fantasias.
Mas, afastando desta comentário essa minha maneira de encarar a situação, que não passa de um sentimento pessoal, exppresso, no entanto, a minha estranheza em relação à postura dos homossexuais que se digam ou, pior, se considerem cristãos e católicos.
É que a Bíblia, no seu Velho Testamento, em qualquer das suas versões existentes, expressa o que Deus revelou:"se yum homem tem relações sexuais com um homem, os dois fizeram uma coisa repugnante: deixá-los serem condenados à morte, o seu sangue será sobre eles".
Não estou minimamente preocupado com os humanos castigados por estes actos, porque não tenho qualquer rteligião.
Mas, de facto, o que me causa estranheza sáo as pessoas que serão respeitadoras da palavra de Deus e tão claramente expressas na Bíblia, neste caso a ignorarem completamente, argumentarem contra a vontede divina (do seu Derus) e outros advogarem a sua defesa.
Isso é que me confunde, embora já há muito me habituei àqueles que consideram os agnósticos criminosos mas lhe disputam esse título, apesar das suas crendices.
Talverz digam o que já tenho ouvido: isso foi escrito nos tempos antigos, mesmo muito antigos.
Eu, que julgava aquele Deus dos outros, eterno, pergunto-me se esse Deus que fez os céus e a Terra, está sujeito ao tempoi como me sujeitou a mim e a vocês que me leêm.
Decerto, dirão as lésbicas, nós podemos fingir de homem porque (pelo menos não sei) Deus não nos citou nas suas obrigações para com o divino.
Por último e para o meu comentário estar mais relacionado com o artigo ou notícia, não será que os homossexuais se possam dividir em dois grupos: os que gostam de crianças e os que pereferem adutos?
A preferência dominante variará em cada indivíduo mas, sempre com sexo igual?
Quanto ao celibato, penso que se criam condições para o desenvolvimento de fantasias que não podem ser realizadas sem o risco de escândalo e consequentes prejuízos se praticadas com mulheres.
Como padres, recuarão perante a necessidade de provocar uma mulher que, sabe, pensará de imediato não ser uma abordagem própria de um sacerdota. Mais, o padre não terá a prática de lidar com mulheres.
O que lhes resta? Talvez praticar o que já terá sido experimentado na sua infância, no seminário onde só havia rapazinhos.
Note-se, que os padres não são celibatários temporáriamente, são forçados desde tenra idade.
Em princípio, nunca tiveram relacionamentos com mulheres e só eles saberão o que isso lhes acarreta de alterações psíquicas e físicas.
As suas fantasias e sonhos, naturalmente recairão sobre os que os satisfaziam sexualmente no seminário, outros como eles, crianças e outros mais velhos, enfim, uns abusados e outros abusadores.

kimarques a 14 de Abril de 2010 às 00:42

mto bem mai nada, esta tdo dito por poucas palavras :)
paraiso a 14 de Abril de 2010 às 13:53