Confesso que sou contra somente a privatização da água, porque acho que como bem essencial deve permanecer sob a tutela do Estado.

É um sector sobre o qual ainda não tenho opinião formada. Estou a falar da exploração dos recursos, que não propriamente da distribuição, essa pode muito bem ser assegurada por privados.

A questão da distribuição é um bocado complexa. Seria necessário que existisse muito bom senso por parte da entidade privada que ficasse com a distribuição a seu cargo, já que face ao avultado investimento que é necessário fazer em condutas, obviamente a concorrência seria inexistente. A regulação teria que funcionar de forma exemplar. Para já parece-me no entanto que a regulação em Portugal carece de competência!Cmpts
Renato Seara a 8 de Dezembro de 2009 às 18:46