...

E quem poderá mudar esse estado patológico atmosférico?... Os eleitores que são a própria farmácia / democrática


...e certamente saberão dar a dose homeopática
contra essa implacável patologia.


Boa sexta-feira, António.


(a)braços,flores.girassóis...:)
Lampejos a 4 de Setembro de 2009 às 02:52

Falta-te aqui a compra da rede analógica da RETI, a um par de anos de ser fechada, por parte da PT. Deu muito jeito.

Mas tu defendes que não basta ser privado, também não se pode ser de esquerda?
manuel gouveia a 4 de Setembro de 2009 às 09:15

Lê o que escrevi, não procures fantasmas, quero lá saber se um órgão de comunicação editorial é de esquerda ou direita, desde que assuma a opção editorial, o que nos remete para uma discussão anterior, o lóbi, prefiro saber os interesses de determinado político do que estar tudo por baixo da mesa. O que defendo sempre é verticalidade e transparência, custa-te a perceber? Não tem que ver com esquerda vs direita ou público vs privado, isso são outras questões.

Não me refiro à linha editorial, mas à estrutura accionista da empresa que tu dizes próxima do PSOE, Teremos então empresas privadas de esquerda e de direita? Será a SONAE de direita e portanto mais isenta às pressões do governo?

A RETI foi um negócio privado,,,

Pareces não querer perceber, mas isto nada tem a ver com público vs privado. No público o governo manda, impõe, influencia, nomeando pessoas da sua confiança, são já longas as acusações (muitas vezes fundadas) de interferência na RTP, que tem prestado serviço aos diversos governos (é assim desde o Estado Novo). No sector privado poderá existir interferência se os braços tentaculares do Estado forem demasiado longos, daí a necessidade de reduzir o Estado na economia, quanto menor for um Estado, quanto menor a carga fiscal, maior a liberdade dum povo, o Estado é um mal necessário, mas ainda assim um mal. Os partidos políticos sempre se interessaram pela comunicação social, em Espanha o El País é próximo do PSOE o El Mundo do PP. Queres mais exemplos mundo fora? Em Portugal também deveria ser assim a meu ver, mas às claras, com transparência, só que é suposto existir um dever de isenção que depois não existe. Esclarecido?

Não basta ser privado! Mesmo assim precisamos de menos estado... ou talvez não seja uma questão de regime mas de pessoas (da sua qualidade).
manuel gouveia a 4 de Setembro de 2009 às 13:07

António existe somente um facto que quer o Portas que o PSD igoraram quando referem que a Prisa actuou sobre ordens do PSOE.
Caro António a Prisa neste momento está de costas voltadas para Zapatero e para o PSOE devido a assuntos que tem que ver com a Televisão Digital, (acusa o PSOE de favorecer a Mediapro) pelo que cai por terra esse seu argumento.

A quem é que esta polémica está a beneficiar? Moura Guedes fez parte de que partido politico? De que partido politico era o senhor que fez a denuncia anonima no caso Freeport? É estranhas coincidências!...
Renato Seara a 4 de Setembro de 2009 às 12:36

Todas as teorias de conspiração são igualmente válidas. Não invalida o argumento que José Sócrates se colocou a jeito quando elegeu o Jornal da Noite, que classificou de jornalismo travestido, como advesário político.

Mas o António acha que o Sócrates deveria ouvir aquilo que diziam todas as sextas feiras dele e calar-se?
Ele disse o que tinha dizer e muito bem. Agora obviamente que existem sempre alguns Boys que na ânsia de mostrarem serviço até se esquecem que estão é sim a prejudicar o PM.

Já agora porque é que ninguém pensa que esta decisão foi precisamente uma pequena vingança por parte do homem forte da Prisa contra os socialistas?

Mas o António acha que o Sócrates deveria ouvir aquilo que diziam todas as sextas feiras dele e calar-se?

-Politicamente sim, ignorar olimpicamente e mostrar superioridade. Também poderia ter gerido melhor o processo Freeport, nomeadamente pedindo para ser ouvido pelos procuradores, mas isso já é outra questão, parece-me que a tentativa de gerir e limitar danos não seria a melhor, mas isto digo eu que não conheço os factos.

Já agora porque é que ninguém pensa que esta decisão foi precisamente uma pequena vingança por parte do homem forte da Prisa contra os socialistas?

-Parece-me demasiado rebuscado, seria mais plausivel tomarem esta decisão sem medirem consequências, apenas porque sim, são donos e Portugal não lhes interessa por aí além.

"Também poderia ter gerido melhor o processo Freeport, nomeadamente pedindo para ser ouvido pelos procuradores,"

Ainda bem que não o fez, isso está mais ao nível do Ex-Conselheiro Dias Loureiro!!
Bruno-Planetas a 4 de Setembro de 2009 às 18:26

A resposta deu direito a post.

AbraçoRestondido
Bruno-Planetas a 4 de Setembro de 2009 às 18:08