La démocratie donne toute sa valeur possible à chaque homme, le socialisme fait de chaque homme un agent, un instrument, un chiffre. - Alexis de Tocqueville
16
Jun 09
publicado por António de Almeida, às 14:45link do post | comentar

“Muito fácil, super acessível”, resumia Pedro Pereira, 17 anos.
 

   -O Ministério da Educação continua a optar pelo facilitismo na elaboração de exames, que mais tarde permitem ao governo apresentar resultados brilhantes em relatórios "tipo OCDE".


Caro António Almeida,

Não, não lhe deixo nenhum link. Mas o que diz neste post carece de sentido. E deixo por isso o desafio de ler no meu blogue o que escrevi a respeito de críticas fáceis como esta. Se no fim tiver argumentos, esgrima-os se achar que são convincentes.

Carlos Santos
Carlos Santos a 16 de Junho de 2009 às 17:07

Obviamente que estou a comentar uma notícia de jornal, que por sua vez cita uma declaração de um aluno, por si só merece reservas. No entanto tivemos o ano passado a questão dos exames a português e matemática serem efectivamente considerados fáceis pelos especialistas. O relatório que era da OCDE, e depois passou a "tipo OCDE", também é um facto indesmentível. Poderei até estar hoje a cometer uma injustiça, mas induzido em erro por um "modus operandi".

E depois eu é que aguento a ignorância quando os apanho nos bancos do 1º ano. (desculpem o desabafo!)
Blondewithaphd a 16 de Junho de 2009 às 17:12

O que é fácil para uns pode ser dificil para outros.
Daniel João Santos a 16 de Junho de 2009 às 18:28

Eu fiz o exame, e não achei nada oferecido...
Era relativamente fácil, porque me preparei para ele, mas nada oferecido...

Não façam criticas sem lerem sequer o exame!
Jose Sousa a 16 de Junho de 2009 às 18:54

Ou então a qualidade de ensino subiu! São as reformas meu caro! São elas a dar resultados!
manuel gouveia a 16 de Junho de 2009 às 19:44

Passei pela experiência de fazer exames nacionais à pouco tempo e não posso deixar de concordar com o post. A acusação do facilitismo no ensino não é só aquela conversa do velho saudosista - "No meu tempo é que era sério". Os exames são realmente demasiado fáceis. Passei o ensino secundário a ouvir histórias de horror dos exames nacionais, de alunos com esgotamentos e coisas semelhantes, e fiquei chocado com o facilitismo de alguns exames. E podemos generalizar isto ao sistema de ensino público. Eu consegui percorrer todo o ensino básico e secundário sem nunca chegar a saber o que era ter de me esforçar para conseguir resultados. Isto só aconteceu com o choque que foi entrar para o ensino superior em que realmente se exigia de mim um trabalho mais constante e uma dedicação séria ao estudo. Na época em que fiz o exame não tinha esta ideia mas em retrospectiva acho absurdo que se consigam tirar notas acima de 15 num exame nacional com uma ou duas tardes de estudo.
luis a 17 de Junho de 2009 às 20:03

mais sobre mim
Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9





comentários recentes
comunismo=fascismo
Gostam de falar sobre os mamarrachos mas esquecem ...
Muito Bom post. Realmente, este flagelo agrava em ...
Muito Bom post. Realmente, este flagelo agrava em ...
A Censura anda muito activa nos comentários dos bl...
Posts mais comentados
pesquisar neste blog
 
arquivos
links
blogs SAPO