Aguardo confortavelmente sentado com um Gin Tonico na Mão pelas propostas do CDS e PSD...
Bruno - Planetas a 27 de Agosto de 2008 às 11:51

CDS, PSD, propostas?
Claro que não!

Nos últimos anos estes partidos só sabem criticar e dizer mal. Sempre a crítica destrutiva, nunca a construtiva.
Miguel a 27 de Agosto de 2008 às 12:10

Isso quer dizer que vou ter de acabar com o Gin à espera..?!!?!

E será melhor mandar vir mais umas garrafas...
Miguel a 27 de Agosto de 2008 às 18:14

Sim o melhor mesmo é esperarmos pelas propostas do BE e do PCP. Tenho a certaza que vão ser muito "originais" e "inovadoras"
Daniela Major a 27 de Agosto de 2008 às 19:08

Sempre gostava de saber que alterações legislativas vão impedir assaltos e sequestros. Vamos ameaçar os delinquentes com decretos ? Ou de os obrigar às sessões do Parlamento ? Ou ainda de os obrigar a assistir ao vivo a todos os pedidos de debates de urgência do CDS. Esta sim, punha-os em sentido.
Já agora, também não dizia que não a um ginzito ...
Jeronimo a 27 de Agosto de 2008 às 19:49

Um gin nunca se recusa, em particular no final da tarde na esplanada do Peter's . Mais a sério, as alterações legislativas que defendo têm que ver com o agravamento das penas de prisão efectiva, e o efectiva é mesmo importante. Também veria com bons olhos maior celeridade nos processos, nem estou a falar da investigação, mas do tempo que vai duma acusação à sentença.

Obviamente que o que falta é punir de facto os criminosos.

Constantemente se assistem a noticias de pessoas apanhadas a cometer um crime qualquer, vão ao juíz, são mandadas em bora, cometem novo crime, voltam ao juíz, voltam pra casa para cometer novo crime e assim sucessivamente...

Com esta sensação de impunidade ninguém pensa duas vezes antes de cometer um crime.
Miguel a 28 de Agosto de 2008 às 10:09

Completamenteb de acordo.O problema não é de mais ou melhores leis. é o de aplicar efectiva e eficazmente o quadro legislativo de que se dispõe. O que se pode fazer com novas leis que obriguem os magistrados a condenar com rigor os criminosos ? Ou a colocar em prisão preventiva os delinquentes que o justifiiquem ? Já agora, já se percebeu que o menor numero de prisões efectuvas tem de facto a ver com a escapatória encontrada pelos magistrados para fugir aos prazos impostos pelo novo código penal ? Aqui está um exemplo de que uma boa intenção legislativa pode levar a um mecanismo perverso para a contrariar..
Jeronimo a 28 de Agosto de 2008 às 10:21