Àlvaro Campos é também um dos meus poetas preferidos tal como Alberto Caeiro, outro heterónimo de Pessoa. A dor de pensar e de sentir com todas as suas contradições.
Um abraço
SILÊNCIO CULPADO a 22 de Março de 2008 às 22:34