António Almeida
Efectivamente existe muita demagogia na forma como os assuntos são apresentados em política. As "verdades" são fabricadas à medida dos interesses e com muito pouca aderência à realidade.
É verdade que muitas políticas de esquerda e formas de luta se revelam catastróficas em países onde foram aplicadas e onde são proibidas as manifestações que aqui são tão mobilizadoras.
Mas tem que haver soluções para tanta misérias e cruas e desigualdades.

Abraço
Silêncio Culpado a 29 de Maio de 2008 às 10:26

Perguntou onde. Eu digo-lhe: Noruega, Suécia, Dinamarca, Finlândia. São precisamente os países onde melhor se vive no mundo onde a carga fiscal é mais elevada e os serviços públicos têm maior peso na economia e na excelente qualidade de vida das pessoas. Retribuo-lhe a sua questão: que exemplos conhece de bem-estar social e melhoria da qualidade de vida das pessoas em países onde o neo-liberalismo tenha sido implementado? Eu não conheço nenhum. A "utopia" está aí.

Espero que não apague o comentário como de costume.
Lurdes Pina a 29 de Maio de 2008 às 11:20

Os países nórdicos não são socialistas, por lá não existe qualquer coisa parecida com o BE, nem lá perto. Descontando a Noruega (produtor de petróleo), que não quer nem ouvir falar de UE, os outros estão com problemas de financiamento, não por acaso a "flexisegurança" foi criada na Dinamarca. Quanto a neo-liberalismo, a palavra pressupõe novo, terá que me indicar qual é o país do mundo que aplica tal doutrina, aliás, pode começar por me esplicar o que é tal doutrina, conheço liberalismo, não conheço neo-liberalismo, assim como conheço socialismo, não conheço neo-socialismo, expressão que por vezes até emprego como gozo de resposta. Agora se por utopia entende desenvolvimento económico, então estamos de acordo, mas tenho sérias dúvidas que o PCP, o BE ou mesmo Manuel Alegre subscrevessem o modelo Dinamarquês, Sueco ou Finlandês. Islândia e Noruega são casos diferentes, muito especificos, mas longe de serem socialistas.