Hoje tive o prazer de ler este post no Público ;)


abr...prof...
NuNo_R a 9 de Abril de 2008 às 21:37

Alguém me explica, por caridade, desde quando as línguas evoluem por decreto?!
Saudações,
São a 8 de Abril de 2008 às 23:48

A minha posição é radical.
Quem quiser falar português, então que fale como nós, Portugueses.
Porque eu quando tenho de falar com um inglês, francês ou italiano, tenho de falar na sua lingua materna e não noutra lingua qualquer, se o mesmo não falar em português; o que é sentato e correcto.

Afinal quem é que fala português, os portugueses ou os de "fora"?!

abr...prof...
NuNo_R a 8 de Abril de 2008 às 22:05

António, tens agora aqui direito a um corrector ortográfico, muito bem e este nem precisas de instalar no computador, parabéns.

Sinceramente estou indeciso quanto ao acordo, por enquanto fico à espera de novas.
Tiago R. Cardoso a 8 de Abril de 2008 às 15:18

-Caro anónimo, não posso deixar de lhe dar razão, teclar com rapidez não desculpabiliza erros.
António de Almeida a 8 de Abril de 2008 às 13:43

Sou pela evolução natural das línguas. Este acordo não me convence de todo!
Carol a 8 de Abril de 2008 às 13:30

Tem de concordar: iniciar a leitura do seu texto e, tendo em conta o tema de que se ocupa, encontrar tantos erros ("á" em vez de "à", "lingua" em vez de "língua", "ractificaram", etc.) é, no mínimo, desencorajador!
Anónimo a 8 de Abril de 2008 às 11:57