permite-me a discordância.

A noticia fala desde 2001 e estes senhores estão lá faz agora quatro anos e meio.

Resumindo, isto é a obra do PSD e PS, não exclusiva da governação socialista.
Daniel João Santos a 24 de Julho de 2009 às 12:19

A notícia não fala desde 2001, compara os anos, e 2001.

Entendi. Subitamente passou-se de 2001 para 2008, pensei que fossem evoluído no pior sentido ao longo dos anos. Afinal duplicou só no ano de 2008.

É a cereja em cima do bolo de anos de governação do bloco central e resultado de anos a fio de políticas de direita.
manuel gouveia a 24 de Julho de 2009 às 13:02

Políticas de direita? Quais?

Ó António, és inteligente o suficiente para saberes quais säo, näo te faças de parvo!
É muito bonito querer fazer figura de rico sem ter meios para tal, e é o que se anda a fazer em Portugal há muito. Depois quem trabalha é que se f... lixa! Protecçäo social e do emprego, ZERO! Os gestores, que deveriam dar o exemplo, esbanjam o que deveriam investir nos seus espadas e casas de luxo, enquanto os trabalhadores levam lixo. Näo säo empresários, säo só patröes.
Na Finländia, onde vivo há 10 anos, o trabalhador é respeitado e respeita o empregador, porque os dois sabem que um näo pode ganhar dinheiro sem o outro. Há ricos na mesma, näo säo é comparativamente täo ricos como em Portugal. no fim de contas, a sociedade tem muito menos tensöes sociais, ninguém rouba porque têm que chegue para viver melhor que a classe média portuguesa. Os pobres da Finländia väo passar férias às Canárias!
E os governos, embora se digam de direita, näo ousam tocar nas políticas sociais (ditas "de esquerda") ao mesmo tempo que usam os altos impostos para melhorar a infraestrutura e financiar empresários inovadores.
Maquiavel a 24 de Julho de 2009 às 13:32

Embora não concorde com o modelo social europeu, não é bem isso que está aqui em discussão, podemos deixar para outra altura, o que fala em Portugal tem muito a ver com fuga aos impostos e fraudes económicas, casos de polícia e não de política. O maior dos nossos problemas é a Justiça, não me canso de afirmar, sem a qual nada funciona. Mas não me digam que um governo que nacionaliza bancos, abusa do ajuste directo, aumenta impostos e recusa privatizar seja o que for, é de Direita, porque isso não é.

Apesar de ter respondido mais abaixo, confesso que não fui mais eficaz do que esta resposta!

Desmantelamento do sector produtivo do estado com lucros fabulosos para meia dúzia de privados, como foi a extinção do IPE, desmantelamento da serviço nacional de saúde viabilizando estabelecimentos privados, desmantelamento da segurança social viabilizando a oferta privada. Precarização laboral que não produziu aumento de emprego e apenas serviu os interesses de patrões gananciosos. Generosa utilização dos fundos público quando se trata de acudir aos interesses da banca e dos grandes especuladores financeiros...

Enfim, ainda só agora comecei e até eu já me pergunto, onde estão as políticas de direita?

desmantelamento da serviço nacional de saúde viabilizando estabelecimentos privados

-Não vais falar de maternidades com número insuficiente de partos ou serviços de urgência onde não existe sequer equipamento, vais?

Desmantelamento do sector produtivo do estado com lucros fabulosos para meia dúzia de privados, como foi a extinção do IPE

-Qual sector produtivo do Estado? Exemplos concretos de lucros do Estado que tenham sido desviados para privados.

Precarização laboral que não produziu aumento de emprego e apenas serviu os interesses de patrões gananciosos

-Em rigor o Código do Trabalho ainda não produziu efeitos, é demasiado cedo para analisar as consequências práticas do diploma.


Generosa utilização dos fundos público quando se trata de acudir aos interesses da banca e dos grandes especuladores financeiros...

-Essa foi a resposta da esquerda, à qual alguma Direita pelo mundo fora aderiu, pessoalmente como sabes defendi a não intervenção e colapso dos maus players.

Quando penso que IPE permitiu a dois ex-administradores um encaixe de diversos milhões, chego à conclusão que algo esteve errado nessa decisão.

Falo do encerramenteo de maternidades e da abertura de outras privadas... estranho não é?

Já reparastes que os milhões que o estado já perdeu para os negócios da incontornável SLN davam para construir um país totalmente diferente? Não temos estado a mais , temos é corrupção a mais!

Quando penso que IPE permitiu a dois ex-administradores um encaixe de diversos milhões, chego à conclusão que algo esteve errado nessa decisão.

Ok, desconta o caso dos dois ex-administradores, qual era mesmo o lucro do Estado com o IPE?

Falas da maternidade de Chaves? Um argumento a favor da privatização do SNS, aliás recordo-te o caso concreto que chocou Ana Jorge, o Hospital da Luz ganhou um serviço contratualizado com o Estado, por prestar serviço a custo inferior. Racionalização.

A corrupção nada tem que ver com Esquerda ou Direita.

Estou a falar no numero de cesarianas que se praticam nas nossas maternidades...

Estou a dizer que quando o estado se retira entra quase sempre a corrupção...

Que a moral da direita lhe confere uma atitude que só se escandaliza com os excessos do RSI e é extraordinariamente tolerante aos milhões gastos em corrupção...

Que a moral da direita lhe confere uma atitude que só se escandaliza com os excessos do RSI e é extraordinariamente tolerante aos milhões gastos em corrupção...

Isso é profundamente injusto, pelo menos para com as pessoas, e foram várias, conotadas com a Direita liberal, independentes de partidos, que têm manifestado indignação por casos sucessivos, do BPN ao abusos no RSI, sem excepções.

Referia-me à instalada no poder... em particular tu sabes quem...

No particular ou no mundo dos blogs isso realmente aconteceu.

O drama é que eu não vejo alternativa séria no PSD...

Bom fim de semana.
São Banza a 24 de Julho de 2009 às 20:14

O que fizeram deste país nas últimas décadas, em que os políticos que nos governaram tiveram a faca e o queijo na mão para o tornar um país apetecível por todos, inclusive os melhores, que emigram em busca de melhores condições...



P.S. Tenho um exemplo na família, que levou para o Estrangeiro a sua excelência.
Cristina Ribeiro a 25 de Julho de 2009 às 01:20